Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tralhas Grátis

Tralhas Grátis

Desconto de 50% em talão REALMENTE é um desconto de 33,33%!

Contactei o Professor Rogério Matias, do site calculofinanceiro.com a propósito do desconto em talão. O que na REALIDADE significa? Qual o desconto REAL que conseguimos?
Então, tendo em conta dois pressupostos:
1. O consumidor faz duas compras;
2. O desconto é uma percentagem da primeira compra mas só é rebatido (descontado) na segunda compra (e esta já não tem desconto).
O desconto máximo que o consumidor consegue consiste em efectuar uma segunda compra exactamente igual ao valor do desconto obtido na primeira compra.
Então vamos analisar o exemplo que o professor Rogério indica:
- Valor da 1ª compra: 100
- Desconto em talão (para rebater na compra seguinte): 50%, ou seja, 50 euros
- Valor da 2ª compra: 50 euros (nesta compra, o consumidor paga 0 euros).
Em síntese:
- Valor total das compras: 150 euros
- Valor total pago: 100 euros
- Desconto global obtido (relativo às duas compras): 50 euros que, em percentagem corresponde a 50/150, ou seja, 33,33%. Este é o desconto máximo que o consumidor consegue, efetuando uma segunda compra de valor exatamente igual ao desconto que obteve na primeira. Se o valor da segunda compra for superior ao desconto obtido na primeira, esta percentagem (do desconto global obtido relativo às duas compras) é menor - e será tanto menor quanto maior for o valor da segunda compra). Estes 33,33% são, pois, o desconto máximo que se consegue no cenário
indicado. Ora, isto é exatamente 1 - 1/(1+taxa de desconto), como pode ver se fizer esta conta: 1 - 1/(1+0,50) = 0,3333 (33,33%). Na verdade, resulta no mesmo fazer 1 - 1/(1+taxa de desconto) ou simplesmente taxa de desconto/(1+taxa de desconto). No nosso exemplo, pode ver que 0,50/(1+0,50) resulta logo em 0,3333. Pode experimentar com outros valores e verá que isto é sempre verdade (desde que assumidos os tais dois pressupostos de que falei no início).


Olhe outro exemplo:
- Valor da 1ª compra: 154
- Desconto em talão (para rebater na compra seguinte): 30%, ou seja, 46,20 euros
- Valor da 2ª compra: 46,20 euros (nesta compra, o consumidor paga 0 euros).
Em síntese:
- Valor total das compras: 200,20 euros (154 + 46,20)
- Valor total pago: 154 euros
- Desconto global obtido (relativo às duas compras): 46,20 euros que, em percentagem corresponde a 46,20/200,20, 23,077%. Também pode chegar a este valor de duas maneiras:
- Fazendo 1 - 1/(1+taxa de desconto). Fica 1 - 1/(1+0,30) = 0,23077 ou
- Fazendo taxa de desconto/(1+taxa de desconto): Fica 0,30/(1+0,30) = 0,23077
Se a segunda compra for de valor superior ao desconto obtido na primeira a percentagem de desconto global (relativa às duas compras) diminui.


Percebem porque descontos em talão não é tão linear como parece? Uma vez que normalmente os preços até estão mais altos do que o normal, e tendo em conta o facto de depois ainda irmos consumir outros igualmente centimos mais caros... pode não compensar! Podem sempre consultar a Claculadora de Descontos em Talão, que o Pedro Pais disponibiliza no seu blog.

Quanto ao Luso Finance temos que:

Se eu comprar um carro e tiver 10% de desconto, fico com esse dinheiro na minha conta, ou no cartão de débito. Se a seguir for comprar uma mota, não vou dividir esses 10% pelas duas compras, e afirmar que afinal só tive 2% de desconto( valor da mota diluiria o desconto dado pelo carro, como voces afirmam ao falar em desconto máximo). O dinheiro é virtual. A partir do momento em que usamos cartões, seja de multibanco ou de fidelidade, é igual o tratamento do ''dinheiro'' dentro destes.
Um exemplo talvez mais claro: E se eu receber o desconto mas em dinheiro? Se os 50% de desconto fossem para o meu cartão de débito em vez do cartão do continente(recebendo eu então 50€ na minha conta por uma compra de 100€), e eu a seguir for de novo ao continente e comprar algo, usando o meu cartão de débito, o desconto tambem tinha sido diluido por duas compras? Óbvio que não.. e em ambos os casos o dinheiro está num cartão.

Um cartão de débito,uma conta bancária ou um cartão continente comportam-se da mesma forma desde que olhemos para o valor em talão como sendo dinheiro.Desde que olhemos para o cartão continente como olhamos para o cartão multibanco.

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2